11/29/2011

Permanecer



Lembrai-vos, porém, dos dias passados, em que, depois de serdes iluminados, suportastes grande combate de aflições. Em parte fostes feitos espetáculo com vitupérios e tribulações, e em parte fostes participantes com os que assim foram tratados. Porque também vos compadecestes das minhas prisões, e com alegria permitistes o roubo dos vossos bens, sabendo que em vós mesmos tende nos céus uma possessão melhor e permanente. Não rejeiteis, pois, a vossa confiança, que tem grande avultado galardão. Porque necessitais de paciência, para que depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. Porque ainda um pouquinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará. Mas o justo viverá pela fé, e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Nós porém não somos daqueles que retrocedem, mas daqueles que permanecem para a conservação da alma.

Hebreus 10.32-39


11/24/2011

Só importa Jesus


A E
E de repente, eu percebi
D D9 D
Que nada mais importa
A E
Os meus sonhos, minhas vontades
D Bm E
O meu caminhar... tampouco os meus pés ou mãos.


A E
Não! Não importa...

D Bm D E
Não importa os olhares, os olhos ou lugares
A
Não importa mais.

A E
Não! Não importa...
D Bm
Não importa o meu passado
D E
Não importa os meus desejos
A
Apenas Jesus.

Só importa Jesus.



[Voltei a compor! E enxerguei muita coisa. :)] >>> provavelmente a cifra está fora de lugar, é difícil editar aqui! :D


11/15/2011

mágoa


Acontece que algumas vezes você tem que deixar passar, sem deixar crescer.
Acontece que algumas vezes a escolha não depende só de você.
E algumas vezes você terá que dar tchau, mesmo sem querer.

Acontece que algumas vezes vão machucar seu coração. E vai doer.
Mas vai passar.
Isso é certo.

Acontece que na maioria das vezes você não pode tomar decisões pelos outros.
E algumas vezes você tem que voltar atrás com as suas por causa dos outros.

E poucas vezes você vai decidir amar alguém. Mas talvez essa pessoa não te ame de volta.
E poucas vezes é a mágoa que não deixa.

Mas aí você vai ter que virar a cabeça e olhar em outra direção. Porque acontece que na vida, não existe apenas uma escolha...

E talvez doa. Mas passa.

Porque no final você acaba entendendo que as escolhas, assim como a salvação, são pessoais.
Não se escolhe pelo outro.
Ele tem que escolher sozinho.

Acontece que eu pensei que pudesse te amar. Eu estava disposta a isso. Mas virei a cabeça e percebi que existem escolhas que não cabem só a mim.

E então decidi seguir em frente.

Mais uma vez.

11/10/2011

De Janeiro à Janeiro

video


Sabe aquelas músicas que traduzem tudo que se passa dentro de você em apenas alguns minutos? Pois é, é dessas.

11/08/2011

Plenitude


E de repente, aquilo que eram muros tornam-se nuvens, fumaça.
Ainda é difícil de ver, mas não é intransponível.

Porque de repente aquilo que era vazio, torna-se completo.
Ainda é difícil perceber, mas dá para sentir.

E assim, como se de súbito, aquilo que não existia, torna-se amor
E não é mais difícil notar, pois é força.

É plenitude.

É paz.

Serenidade, suficiente para apagar os defeitos.

E de repente aquilo que era sonho, torna-se realidade.

E vou dizer pra você, é daquelas realidades gostosas de serem sentidas, sabe?

Daquelas que são muito mais plenas que o sonho... do que qualquer sonho.

De repente é amizade, é cor, é suavidade.

Mas acima de tudo, é certeza. É descoberta. É inocência.

É promessa de um dia claro. De uma noite fria.
De um beijo suave, um abraço apertado.

É promessa de nunca deixar, é confiança em acreditar.

De repente é acreditar novamente no brilho da lua,
Na sua solidão.

Na sua sina.

De repente, é mais do que tudo.
É atração, é desejo, é calor.

De repente é sangue que corre, pensamento que fica.
Pensamento bom.

De repente é água na fonte, é cachoeira que vibra.

De repente é som. É volume.

E no mesmo instante é silêncio.

De repente, e não mais que de repente, é um algo que cresce devagar, que desenvolve e se propaga no tempo, sem diminuir, sem decrescer... É um algo assim, como se enxergasse o que não se vê, como se tivesse o que não se tem, como se acreditasse no que, para todos os outros, não existe.

De repente, nada mais é, do que esperança.

Daquelas esperanças que duram. E só se despedaçam quando alcançadas, exatamente como se esperava acontecer...

Assim.

11/02/2011


E quando o passado começa a ser presente novamente, o que a gente faz?